1 de abril de 2015

O que não existe mais [Krishna Monteiro]


Sensível. É assim que eu definiria O que não existe mais, livro de estreia do brasileiro Krishna Monteiro, que já atuou em outras áreas e segue carreira diplomática.

Nos sete contos que compõem o livro, nos deparamos com a solidão, as lembranças, as ausências. Um galo de briga que rememora seus dias no momento de um combate, um filho perante as memórias – a presença ausente – do pai falecido, uma senhora que contava histórias no sítio, a relação entre um neto e seu avô – antigo soltado que lutou na Itália na Segunda Guerra.


31 de março de 2015

Quote da quinzena #27


Pensem em um livro singelo, delicado. Para mim, logo me vem à mente Lis no peito: um livro que pede perdão, de José Miguel Marinho.

Olha, poucas vezes um infantojuvenil me tocou tanto como aconteceu com esse livro. Na realidade, aqui, prefiro descartar os rótulos: a história é de uma maturidade incrível, além de bastante sensível, e a recomendaria para todas as idades. O tema? O primeiro amor; quer coisa mais linda?


30 de março de 2015

Feminices Lab: comprinhas de fevereiro e março!


Sim, um só vídeo com as comprinhas de fevereiro e março! Por isso não estranhem a quantidade de coisas. Teve maquiagem para o curso de Teatro (incluindo um produto ótimo que me surpreendeu), comprinha na Forever 21 e na Youcom, e sapatos... Teve também um presentinho meigo que ganhei de um amigo lá da França.


27 de março de 2015

Em cartaz: O Último Ato


Exibido fora de competição no Festival de Veneza de 2014, O Último Ato é baseado no livro A Humilhação, de Philip Roth, homônimo ao título original.

Al Pacino, cuja carreira atual se nota ironicamente refletida na ficção, dá vida a Simon Axler, um ator consagrado mas decadente em seus 65 anos de idade. Depressivo, ele vê desvanecer-se sua vocação para o teatro e, solitário, se distancia cada vez mais do seu ofício e chega a perder o interesse pela vida. Após passar um período numa clínica psiquiátrica, Simon revê Pegeen (Greta Gerwig). Filha de um casal de amigos atores, ela – já beirando os 30 – confessa ter uma queda pelo famoso ator desde os oito anos de idade. Lésbica, Pegeen larga tudo e engata um relacionamento com Simon; mas as divergências entre o casal tornará caótica a relação e farão surgir pessoas e conflitos do passado.


24 de março de 2015

5 motivos para ler J.K. Rowling para adultos


Joanne Rowling – J.K. Rowling – dispensa apresentações, certo? Nasceu a 31 de julho de 1965, em Yate, Inglaterra; não tendo sido aceita em Oxford, Rowling graduou-se em Francês na Exeter University. De olhos fortemente delineados de preto, ouvinte de Smiths e leitora de Dickens e Tolkien, Rowling acha sorte não ter ido para Oxford; a Exeter já a intimidava bastante (para ela, era requintada e até esnobe demais), em Oxford acha que jamais teria tido sequer coragem de abrir a boca.


20 de março de 2015

Em cartaz: O Amor é Estranho


Fruto da parceria entre o cineasta americano Ira Sachs e o roteirista brasileiro Maurício Zacharias, O Amor é Estranho é o segundo filme de uma trilogia – de histórias independentes entre si – que começou com Deixe a Luz Acesa (2012) e cujo desfecho está ainda em fase de produção.

Selecionado em festivais como Berlim, Sundance, Los Angeles e Tribeca, o longa traz a história de um casal homossexual formado por Ben (John Lithgow) e George (Alfred Molina). Juntos há 40 anos, eles decidem se casar e contam com o apoio dos familiares e amigos. No entanto, o casamento acaba fazendo com que George perca seu emprego de professor de música em uma escola católica. Sem dinheiro, o casal precisa morar provisoriamente em casas separadas, hospedar-se com parentes e amigos, até conseguir vender o apartamento e encontrar outro mais acessível. Essa vida provisória acaba sendo cansativa e incômoda não só para Ben e George, mas para todos a sua volta.


19 de março de 2015

Quote da quinzena #26


Esperei tanto por este momento! Finalmente dividirei com vocês alguns trechos de um dos melhores livros que li nos últimos anos: O sentido de um fim, do Julian Barnes (gênio!). Aliás, não sei se vocês lembram, mas foi com este livro que Barnes ganhou o Man Booker Prize em 2011.

Já comentei com vocês que Julian Barnes é um dos escritores do meu top 10; o cara escreve muito e as tramas criadas por ele incitam o pensar, sem falar que sua narrativa traz um sarcasmo que já não vivo sem. Em O sentido de um fim, o autor nos apresenta um protagonista nos seus sessenta e tantos anos que percorre as lembranças de sua vida, enquanto fala sobre o tempo, a juventude e a memória.


18 de março de 2015

O Plano: elimine os alimentos “saudáveis” que surpreendentemente engordam – e perca peso rápido [Lyn-Genet Recitas]


Certos alimentos – mesmo aqueles tidos como “saudáveis” – podem não funcionar para algumas pessoas, levando a uma resposta inflamatória. E, consequentemente, ao ganho de peso. Partindo da premissa de que o nosso peso nada mais é do que um reflexo da reação química que nosso corpo tem aos alimentos, neste livro a autora (especialista em nutrição) nos apresenta “o Plano”. “O Plano” sustenta que não existe alimento saudável, mas apenas o que funciona para seu corpo.

Ao contrário do que muitos possam achar logo de cara, não se trata de um programa de dieta, mas um guia para que cada leitor descubra quais alimentos “sabotam” seu corpo e para que passe a se alimentar de acordo com o que funciona para seu corpo.