21 de maio de 2015

5 motivos para ler Agustín Fernández Mallo


Agustín Fernández Mallo nasceu em La Coruña, Espanha, em 1967. Poeta e escritor, é também formado em Ciências Físicas; inclusive, foi ele quem criou o termo “pós-poética”, estabelecendo conexões entre a ciência e a literatura. (Falo disso mais adiante, ali nos motivos para ler o cara!)

Já com alguns livros de poemas publicados, foi em 2006 que publicou seu primeiro romance, Nocilla Dream, que rapidamente se tornou um êxito e foi traduzido para vários idiomas. Trata-se do primeiro volume do Projeto Nocilla, que conta com mais outros dois livros – sendo os dois primeiros já lançados no Brasil pela Companhia das Letras.


19 de maio de 2015

Quote da quinzena #30: Laranja Mecânica


Juro que tentei, mas não consegui ser concisa: preciso dividir com vocês todos os quotes que marquei em um dos livros mais sensacionais que já li nesses meus 28 anos de vida. Falo de Laranja Mecânica, do inglês Anthony Burgess, que inspirou o icônico filme de Stanley Kubrick.

Para a galera que ama distopias, Laranja Mecânica é um clássico obrigatório. Crítico e verdadeiro alimento para reflexões, o livro fala de uma juventude violenta por opção e que é submetida a uma “cura” pelo Estado. O livre-arbítrio e a própria condição do ser humano são colocados em questão aqui.

Bem, curtam os quotes – reparem que há um tanto de palavras “estranhas”, é assim mesmo, o livro é repleto delas e há inclusive um glossário dessas gírias que o autor criou – e, depois, recomendo que leiam a resenha para saber mais sobre o livro e sobre a edição ilustrada lindona da Aleph em comemoração aos 50 anos da obra.


18 de maio de 2015

3 motivos para ver “A Vida Privada dos Hipopótamos”


No início do mês compareci à pré-estreia de um filme nacional sobre o qual já andava curiosa: A Vida Privada dos Hipopótamos. Fui surpreendida, pois o documentário me prendeu do início ao fim. Sem comprovar a veracidade dos fatos e situações, o filme permanece numa posição de ambiguidade tão intrigante quanto a própria história que nos é contada. Isso sem falar do título inusitado, o que foi para mim um atrativo e tanto – a primeira razão pela qual quis assistir ao filme logo no momento em que soube de sua existência.

Christopher Kirk é um estrangeiro que cumpre pena no Brasil. Em uma viagem à Colômbia conheceu uma misteriosa mulher – aqui chamada de V. – com quem se relacionou e passou por situações um tanto esquisitas. Depois de um tempo, Chris foi descobrindo coisas que não sabia a respeito da namorada, enquanto ele próprio parece não ser exatamente aquilo que ao espectador é mostrado na tela...


15 de maio de 2015

(Pseudo) Caixa do Correio – abril 2015


Abril rendeu! Além das parcerias, teve encontro de livreiros e também aproveitei para fazer umas comprinhas literárias – livros que eu estava querendo muito e há um tempão – em duas promoções imperdíveis. Leituras excelentes virão...!


14 de maio de 2015

Cantiga de Findar [Julián Herbert]


Diante da mãe prostrada num leito de hospital, padecendo de leucemia, um escritor bem-sucedido começa a escrever um relato pessoal. A mãe é Guadalupe Chávez Moreno, ex-prostituta e dona de umas quantas identidades (Lorena, Vicky, Juana... Marisela Acosta era a mais utilizada); o escritor é o autor deste livro. Fundindo ficção e realidade, em Cantiga de Findar o mexicano Julián Herbert nos presenteia com uma autoficção de intensidade poucas vezes antes vista.


12 de maio de 2015

Na playlist: 8 músicas deliciosamente sexy!


Ok, o título acima já diz tudo! Sabe aquela música gostosinha de ouvir, assim meio romântica, meio ousada? Com letra ou melodia que provocam?! Pois bem, é disso que estou falando!

Escolhi 8 músicas que acho deliciosamente sexy – sem ser vulgar, bebê! Músicas que inspiram, que criam uma atmosfera gostosa, ainda que uma ou outra seja um pouco obscura. Na certa vocês hão de concordar comigo em pelo menos algumas delas! Enjoy!


7 de maio de 2015

Eu, Robô [Isaac Asimov]


Clássico da ficção científica, Eu, Robô reúne 9 contos de Isaac Asimov escritos durante a década de 40. Verdadeiro marco do gênero, o livro introduz as conhecidas três Leis da Robótica e traz histórias que vão desde a época em que os robôs eram máquinas mais simples, utilizadas como companhia, até os anos em que a economia mundial e a própria trajetória da humanidade são controladas pelos robôs.

Genial, é o que eu posso dizer logo de cara. No vídeo dou mais detalhes sobre cada conto e sobre esses “seres” tão peculiares – diferentes e, ao mesmo tempo, parecidos com os homens, só que muito mais decentes – que são os robôs de Asimov...


5 de maio de 2015

Quote da quinzena #29


Um dos meus livros favoritos, As Virgens Suicidas traça um retrato das cinco irmãs Lisbon que, como o próprio título diz, acabam se suicidando. Ao longo da narrativa, conhecemos alguns fatos e muitas especulações sobre essas meninas quase míticas na cabeça dos garotos locais, mantidas sob a vigilância permanente dos pais – principalmente da mãe, bastante severa.

Enfim, só mesmo o genial Jeffrey Eugenides para conceber algo tão intenso – não encontrei melhor definição! – quanto esse livro. Da mesma forma, só mesmo Sofia Coppola para filmá-lo à altura. Se ainda não leram o livro nem viram o filme, sugiro que o façam o quanto antes – sério! Por ora, confiram alguns quotes que fiz questão de anotar durante minha leitura...


4 de maio de 2015

3 motivos para ver “Casa Grande”


Aproveitei o feriado do Dia do Trabalho para ir ao cinema – um dos meus programas preferidos. Tanta coisa que eu estava (estou) querendo ver... Optei pelo nacional Casa Grande, e foi uma escolha certeira!

Considerado como um dos grandes filmes de 2015 e um filme brasileiro que ficará na história, o longa dirigido por Fellipe Barbosa foi comparado ao aclamado O Som ao Redor (de Kleber Mendonça Filho) e aborda questões de cunho social, enquanto acompanha o amadurecimento e a transformação do adolescente Jean, vestibulando e filho de família de classe média alta em crise financeira.



Motivos para ver Casa Grande existem aos montes. Aqui vão 3 para inspirá-los...